29/06/2020 - 22:06h - 310

Waldez representa Amazônia Legal em audiência pública sobre impactos econômicos da covid-19

Governador do Amapá, como presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento da Amazônia Legal, apresentou o trabalho do Estado para conter o coronavírus.
Waldez representa Amazônia Legal em audiência pública sobre impactos econômicos da covid-19

O governador Waldez Góes, na condição de presidente do Consórcio Interestadual da Amazônia Legal, participou de uma audiência pública via videoconferência, com parlamentares do Congresso Nacional. O encontro aconteceu nesta quinta-feira, 25, com o objetivo de discutir os impactos econômicos das medidas relacionadas ao novo coronavírus.

A CN-Covid19 - Comissão Mista acompanha a situação fiscal e a execução orçamentária e financeira das medidas relacionadas à covid-19. O grupo convidou governadores representantes de consórcios regionais para responderem perguntas sobre a atual situação de seus estados.

O presidente da comissão, senador Confúcio Moura, coordenou a reunião, que foi dividida em blocos de perguntas e respostas entre os parlamentares da comissão mista e os governadores de cada região.

Entre os questionamentos, os parlamentares perguntaram sobre o resultado das medidas socioeconômicas e as principais dificuldades relacionadas à aquisição de equipamentos e medicamentos para o enfrentamento da doença.

Waldez relatou à comissão a experiência do Amapá no enfrentamento ao novo coronavírus.

“Atuamos fortemente no isolamento social, na experimentação do lockdown e também na Vigilância em Saúde com as testagens em massa. E na assistência, conseguimos instalar seis centros de atendimento e também executar o protocolo de tratamento precoce, que nos ajuda bastante na prevenção dos casos graves”, pontuou.

Ele acrescentou que o Amapá possui um alto índice de infecção a nível nacional por conta da testagem em massa, que é uma das estratégias da Vigilância em Saúde no combate à pandemia. Por outro lado, o índice de letalidade é de 1.44%, o 4° menor do país.

“Com as políticas de isolamento social, uso de máscara, higienização, protocolo de tratamento precoce e com a profilaxia da rede de pessoas próximas a casos confirmados, vamos evitar que os índices aumentem”, detalhou aos parlamentares.

Góes disse, ainda, que a integração entre Estado, prefeituras e sociedade é essencial para impedir o colapso na Assistência em Saúde.

Por fim, o representante da região norte solicitou o apoio do Congresso Nacional na aquisição dos kits de intubação para todos os estados. Assim como também reforçou a necessidade da derrubada do veto presidencial do repasse de R$ 8,6 bi para os estados e municípios combaterem a pandemia.

Protocolo de Tratamento Precoce

O presidente do Comitê Médico do Amapá, Pedromar Valadares, apresentou à comissão o protocolo utilizado no Amapá, que se tornou referência no tratamento precoce de casos suspeitos do coronavírus.

De acordo com o médico, qualquer síndrome gripal, independente do grau, já é considerada covid-19, até que seja provado o contrário.

O governador Waldez também falou sobre o protocolo terapêutico que está sendo executado nas comunidades indígenas, como a distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPI's) e de medicamentos para os casos suspeitos.

“Estamos à disposição para apresentar nossos relatórios e compartilhar o protocolo de tratamento precoce com todos. Assim podemos integrar o combate, evitar colapsos e salvar vidas”, concluiu.

Participaram, além dos integrantes da comissão, os governadores dos estados de Mato Grosso, Mauro Mendes, e do Espírito Santo, Renato Casagrande.