09/07/2020 - 20:07h - 16

Força-tarefa contra covid-19 alcança mais de 10 mil indígenas do Amapá

Foram 56 aldeias atendidas entre os dias 22 e 27 de junho. A ação aconteceu em parceria com o Distrito Sanitário Indígena.
Força-tarefa contra covid-19 alcança mais de 10 mil indígenas do Amapá

Etnias como Palikur, Karipuna, Galibi Marworno receberam, entre os dias 22 e 27 de junho, a maior ação contra covid-19 voltada aos povos indígenas no Amapá. O Governo do Estado, em parceria com o Distrito Sanitário Especial Indígena do Amapá e do Pará (Dsei), esteve  no municipio de Oiapoque, norte do estado, visitando 56 aldeias, onde vivem mais de 10 mil indígenas.

Segundo a coordenadora do Núcleo Estadual de Saúde Indígena (Nesi), Andréia Pacheco, a ação teve o intuito de levar atendimento para comunidades de difícil acesso ou que ficam distantes da sede do município.

“O objetivo foi detectar pacientes com covid-19 e tratá-los para evitar complicações. Orientamos sobre cuidados e como prevenir que pacientes indígenas que possuam alguma comorbidade desenvolvam a forma grave da doença”, disse.

União de esforços! A ação contou com mais de 40 profissionais entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e agentes de saúde da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) e da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), divididos em 5 equipes para cobrir a região.

Mais de 5 mil pacientes receberam atendimento. Os casos que foram diagnosticados como positivo para o vírus receberam o kit do protocolo de medicações.

Houve ainda atendimento ambulatorial e domiciliar com medição de frequência cardíaca, saturação de oxigênio, temperatura e pressão arterial. Pacientes que apresentaram alterações foram encaminhados para atendimento especializado em Oiapoque ou Macapá.

A cacica da aldeia Ariramba, Izabel Costa, disse que ações como essa são muito bem-vindas nas aldeias indígenas para esclarecer as dúvidas sobre a prevenção.

“Agradeço muito que eles nos alertem para que crianças, jovens e adultos saibam como se proteger, lavando as mãos com sabão, usando o álcool em gel e as máscaras”, contou.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar (CBM), que acompanhou a ação, realizou a desinfecção da área de toda a aldeia para prevenir novos casos de covid-19. Mais de 300 casas e espaços comunitários receberam os trabalhos.

Foram distribuídas mais de 1 mil máscaras de pano doadas pela Prefeitura Municipal de Macapá (PMM).

Também foram entregues frascos de álcool em gel, doados pela empresa L'Oréal Brasil. O Amapá recebeu 20 mil unidades de álcool em gel para profissionais de saúde, comunidades e populações indígenas do Amapá. Foram 10 mil unidades do álcool em gel para o Sistema Único de Saúde (SUS), 3 mil para as populações indígenas e 7 mil para as comunidades.

Essa é a segunda ação de prevenção nas aldeias. Em maio, equipes do Distrito Sanitário Especial Indigena (Dsei) foram até a região com o apoio de um helicóptero do Grupo Tático Aéreo (GTA) e levaram Equipamentos de Proteção Individual (EPI's), álcool 70% e remédios para evitar a proliferação do vírus entre os índios.

Além disso, foram realizadas visitas de monitoramento a índios domiciliados em casas de apoio em Macapá. A ação testou mais de 200 indígenas com o objetivo de evitar que infectados retornem para suas aldeias e contaminem mais pessoas.

As ações fazem parte de um esforço feito pelo Estado para atender aos indígenas desde o início da pandemia. Nesse período, o Governo já garantiu remédios, desinfecção de aldeias, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), testagem, além de destinar quatro leitos do Centro Covid HU exclusivamente para estes povos.